domingo, 2 de fevereiro de 2014

Como funciona a memória ROM

EPROM

Trabalhar com ROMs e PROMs pode se tornar um negócio dispendioso. Ainda que cada circuito não seja caro, o custo pode somar altos valores.Memória apenas de leitura programável e apagável (EPROM - erasable programmable read-only memory) resolve esse problema. Circuitos EPROM podem ser regravados muitas vezes. Apagar um EPROM requer um dispositivo especial que emite uma certa freqüência de luz ultravioleta (UV). EPROMs são configuradas usando-se um programador de memória EPROM que provê uma tensão em um nível específico, dependendo do tipo de circuito usado.
Uma vez mais nós temos uma matriz de colunas e linhas. Em um circuito EPROM, a célula de cada interseção possui dois transistores, que são separados um do outro por uma fina camada de óxido. Um dos transistores é conhecido como porta flutuante e o outro, como porta de controle. A única ligação da porta flutuante com a linha (wordline) é por meio da porta de controle. Assim que essa ligação é feita, a célula tem valor 1. Para mudar o valor para 0 é necessário um processo curioso, chamado tunelamento de Fowler-Nordheim. O tunelamento é usado para alterar a disposição dos elétrons na porta flutuante. Uma tensão, geralmente de 10 a 13 volts, é aplicada na porta flutuante. A tensão vem da coluna (bitline), entra pela porta flutuante e é canalizada para a terra.
Essa tensão provoca o transistor de porta flutuante a agir como um canhão eletrônico. Os elétrons excitados são empurrados por meio do canhão eletrônico e ficam presos no outro lado da fina camada de óxido, dando-lhe uma carga negativa. Esses elétrons carregados negativamente atuam como uma barreira entre a porta de controle e a porta flutuante. Um circuito chamado de  sensor de célula monitora o nível de carga que passa pela porta flutuante. Se o fluxo pela porta é maior do que 50% da carga, ele terá o valor 1. Quando a carga que passa cai abaixo do limite dos 50%, o valor muda para 0. Uma EPROM virgem tem todas suas portas completamente abertas, dando a cada célula o valor 1. 

Para regravar uma EPROM, é necessário primeiro apagá-la e, para isso, é preciso suprir um nível de energia suficientemente forte para romper completamente o bloqueio de elétrons negativos na porta flutuante. Nas EPROM padrão, isso é mais bem realizado com luz UV numa freqüência de 253,7Hz. Como essa freqüência não irá penetrar muitos plásticos ou vidros, cada circuito EPROM possui uma janela de quartzo no topo dela. O circuito EPROM precisa estar muito próximo da fonte de luz de apagamento, entre 2,5 e 5 centímetros, para funcionar apropriadamente.
Apagadores de memória EPROM não são seletivos, ou seja, quando a apagamos nós o fazemos por inteiro. A memória EPROM precisa ser removida de seu local e colocada sob a luz UV do apagador EPROM por vários minutos. Uma EPROM que seja deixada exposta muito tempo pode se tornar super apagada, de tal modo que a porta flutuante da EPROM mude a ponto de tornar-se incapaz de reter os elétrons.

sábado, 4 de agosto de 2012

Um pouco sobre o Técnico Eletrotécnico



Bom muitas das vezes pessoas me perguntam; o que um eletrotécnico faz ?









Objetivos do Curso

Preparar profissionais eletrotécnicos para o mundo do trabalho de forma que possam ser capazes de se adaptarem com flexibilidade às novas condições de ocupação ou aperfeiçoamento posteriores, com capacidade de compreensão dos fundamentos científico-tecnológicos dos processos produtivos, relacionando a teoria com a prática no aprendizado das bases tecnológicas organizadas através de módulos, nos quais serão desenvolvidas as habilidades para a construção das competências requeridas para o mundo do trabalho moderno.






Perfil Profissional


O curso pretende formar profissionais de nível técnico em eletrotécnica capaz de:


- analisar, desenvolver e executar projetos elétricos de instalações residenciais, comerciais e industriais;


- analisar, desenvolver e executar projetos em sistemas de automação industrial;


- operar e dar manutenção em sistemas de automação industrial;


- operar e dar manutenção em máquinas e equipamentos elétricos ou eletrônicos;


- operar e dar manutenção em sistemas de potência desde a geração, a transformação, a


transmissão, a distribuição e a comercialização de energia elétrica.






Mercado de Trabalho


O técnico em eletrotécnica usualmente trabalha em empresas produtoras e distribuidoras de energia elétrica, usinas hidroelétricas e termoelétricas, indústrias de máquinas e equipamentos elétricos, indústrias mecânicas, metalúrgicas, químicas e petroquímicas, empresas de construção civil, empresas de comercialização de materiais, equipamentos e componentes elétricos, em escritórios de engenharia elétrica ou de consultoria técnica da área de eletrotécnica.

Comunicado

Olá queridos leitores do blog eletrotécnica 06, devido a correria vai fazer 1 ano que não faço atualizações por aqui, mas creio que agora voltarei a postar novas matérias sobre atualidades do mercado elétrico..

Um grande abraço a todos que passam por aqui , e como diz a rede globo; A GENTE SE VÊ POR AQUI hehe

sábado, 16 de julho de 2011

Clik energia

Capacidade instalada do país chega a 114,22 mil MW no primeiro semestre de 2011
07/07/2011
   A capacidade instalada dos empreendimentos de geração em operação no país alcançou 114,22 mil megawatts (MW) no primeiro semestre de 2011, de acordo com dados do Banco de Informações da Geração (BIG) da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). A consulta realizada em 30 de junho revela a potência total fiscalizada no país.

   Na consulta realizada, as usinas hidrelétricas respondem por 67,77% da matriz energética brasileira no final de junho. A geração dessas usinas rendeu à União e aos estados e municípios afetados o pagamento de R$ 998,2 milhões em compensação financeira por utilização de recursos hídricos, inclusive royalties pela produção da Usina de Itaipu. Leia mais sobre compensação financeira.

   A segunda maior fonte com participação na matriz nacional, no fim do semestre, é a termoelétrica, responsável por 26,2% da capacidade. As Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCH) ficam em terceiro, com 3,14%. Outras fontes participantes da matriz são a nuclear, eólica e as centrais geradoras de energia (CGH) com 1,76%, 0,88% e 0,17%, respectivamente.

   A potência total de 114,22 mil megawatts (MW) é representada por 2.434 empreendimentos em operação no país. Os dados constam do Banco de Informações da Geração (BIG), disponível em http://www.aneel.gov.br/, em Informações Técnicas. (GL/FA/DB)

Como fazer um painel solar

Por: Almada Negreiros

A energia solar é uma idéia que tem estado por aí há bastante tempo, encontrando a aplicação mais prática em requisitos domésticos tais como esquentar a água ou a casa. Fontes convencionais de geração de eletricidade têm um impacto ambiental enorme visto que o processo é dependente de combustíveis fósseis como carvão ou óleo que é importado com um custo muito alto, ou construindo represas e reservatórios para utilizar a água para geração hidroelétrica de energia, exigindo quantidades massivas de financiamento e infra-estrutura e causando grande inconveniência às pessoas que vivem em tais áreas.

A energia solar, por outro lado, não precisa de muito investimento em termos de recursos, a luz do sol é gratuita e é muito prática e simples de capturar luz solar suficiente durante o ano para gerar energia. Siga os passos simples listados abaixo para aprender como fazer painéis solares, que irão ajudar a capturar a luz do sol e transformá-la em calor e energia. O custo inicial de se tornar “totalmente solar” é um pouco exorbitante, mas a longo prazo, você poderá compensar seu investimento e economizar mais dinheiro do que você de fato gastou! Há duas formas pelas quais você pode começar o processo de fazer o seu próprio painel solar; uma é comprar um kit solar para iniciantes que vem com o equipamento necessário e um manual de instruções detalhado sobre como instalá-lo. O segundo método é usar materiais facilmente disponíveis pela sua casa ou na loja de ferragens local, mas a quantidade de energia que você pode gerar é muito pequena, o que significa que você precisará de enormes quantidades desses materiais.

Eu acho que um kit é sua melhor opção. Na minha opinião, a forma mais fácil de usar a energia solar em sua casa – e utilizar a energia eólica também – é usar o Earth4Energy kit. Junto com este kit, você recebe instruções em vídeo excelentes que tornam o processo muito mais suave. Confira – salve o planeta!

Passo 1:
Tipos de painéis solares. Há sobretudo dois tipos de painéis solares, um converte a energia solar em calor (por exemplo aquecedores de água solares); o outro converte a energia em eletricidade. Este segundo tipo vem anexado com painéis fotovoltaicos e é instalado sobre o telhado para capturar diretamente a luz do sol e a energia criada pelos painéis é alimentada em uma bateria para armazenamento. A bateria é usada para fornecer a eletricidade para a casa e todos os utensílios elétricos dentro dela.

Passo 2:
Instando um kit de painel solar. Quando você compra um kit de painel solar DIY, ele vem equipado com todas as partes e material necessários para fazer o painel solar juntamente com instruções detalhadas passo-a-passo. O equipamento fornecido em um kit irá incluir células solares, ferro para soldar, solda, tabbing e fluxo.

Passo 3:
Fazendo um painel solar sozinho. No segundo método para fazer um painel solar, você irá usar itens comuns encontrados pela sua casa, apesar de que alguns dos materiais precisarão ser buscados na loja de ferragens local.

Passo 4:
Materiais necessários:


Fogão elétrico ou panela elétrica (mínimo de 1100 watts)
Um micro-amperímetro
2 a 3 colheres de sopa de sal de mesa
Cortadores de lâminas de metal
Folha de ½ pé quadrado de cobre (brilho)
Furadeira elétrica
Lixa de papel
Uma garrafa de plástico ou vidro de 2 litros (uma jarra com boca larga também funciona)
2 chumbos de clipe jacaré
Óculos de proteção
Passo 5:
Cortando a folha de cobre. Corte um pedaço quadrado ou retangular da folha de cobre usando cortadores de metal. O tamanho desta folha deve combinar com o tamanho do queimador ou panela elétrica. Certifique-se de que esta peça esteja completamente limpa e livre de qualquer corrosão. Use a lixa de papel para esfregar ambas as superfícies e para limpar quaisquer resíduos aderentes à folha.

Passo 6:
Aquecendo o cobre. Coloque o pedaço cortado de cobre no fogão ou panela elétrica e ligue-o. Aqueça a folha por quanto tempo levar para desenvolver uma grossa camada de óxido cúprico por toda a chapa. Com um queimador de 1100 watt, este processo irá levar pelo menos de 45 minutos a uma hora para que o óxido cúprico cubra a chapa inteira.

Passo 7:
Esfrie a chapa de cobre. Assim que a camada preta tiver densamente coberto todo a chapa, desligue o queimador e permita que a chapa esfrie lentamente. Enquanto ela seca, o óxido preto irá começar a descascar e cair, revelando uma camada vermelha de óxido cuproso. Assim que a maioria do material de óxido preto tiver caído, gentilmente limpe a chapa de cobre passando água para remover todos os traços da camada preta, mas sem raspar a camada vermelha de óxido cuproso. O óxido cuproso formado durante o processo de queima é um componente importante na fabricação do seu painel solar.

Passo 8:
Colocando as chapas de cobre. Para isso você irá precisar de uma jarra de plástico ou vidro com uma boca larga ou você pode usar uma garrafa de plástico com a parte de cima – o pescoço estreito – cortado fora. Corte outra chapa de cobre do mesmo tamanho que a primeira e coloque ambas as chapas dentro da garrafa. Certifique-se de que as chapas não estão se tocando e estão encaixadas apropriadamente ao longo do contorno interno da jarra ou garrafa. Prenda elas na parede interna da garrafa usando clipes jacaré.

Passo 9:
Conectando o micro-amperímetro. Pegue o chumbo do clipe jacaré que está anexado à chapa de cobre limpa (a segunda chapa) e conecte ele à extremidade positiva do amperímetro. Repita com o segundo chumbo anexado à chapa de óxido cuproso sendo conectada à extremidade negativa.

Passo 10
Ajustando o dispositivo para capturar o sol. Dissolva o sal em água quente para fazer uma solução salina suficiente para cobrir o fundo das chapas de cobre dentro da garrafa, sem molhar os clipes jacaré. Mova o dispositivo inteiro para fora e coloque-o onde ele possa capturar a luz do sol. Assim que tiver capturado energia suficiente, o micro-amperímetro irá registrar movimentos para indicar quanta corrente foi criada com o painel.

Comece a usar a energia solar para o funcionamento de pequenos utensílios e máquinas e gradualmente troque para o uso desta energia limpa para preencher todas as suas necessidades de eletricidade e energia. Como mencionado anteriormente, o investimento adiantado é grande, mas você pode compensá-lo em longo prazo, ele irá diminuir a quantidade de dinheiro que você gasta em utilitários como gás e eletricidade, e você também pode lucrar com o crédito de 30% nos impostos que o governo oferece para aqueles que mudam para a energia solar.

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Por quê existem pessoas que só se fodem no trabalho?

pessoas trabalho brgui imagem

Se concordar com os itens (ou alguns deles), dê um curtir no post icon smile imagem

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Pra descontrair um pouco...

Aee galera esse video vai pra vc que adoora essas bandinhas fuleiras...


Leis de Kirchhoff: Exercício resolvido parte 1/2







Exercício resolvido pelo professor Paulo Vicente, do Instituto Federal da Bahia, envolvendo as leis de kirchhoff. As leis dos nós e lei das malhas

Lei de Kirchhoff

1a. Lei de Kirchhoff (lei das correntes, ou lei dos nós) - Num dado nó, a soma das correntes que entram é igual à soma das correntes que saem. Ou seja, um nó não acumula carga.
2a. Lei de Kirchhoff (lei das tensões, ou lei das malhas) - A soma algébrica das tensões, num percurso fechado, é nula.
Baseando-se nas leis de Kirchhoff, equacione as figuras abaixo:

sábado, 26 de março de 2011

Interruptor Intermediário

Descrição da instalação e do funcionamento de um interruptor intermediário

Disjuntor com curto-circuito

Veja o funcionamento e estrutura fisica, com detalhes, de um disjuntor tipo nema, para o teste de desarme foi utilizado uma corrente de aproximadamente de 250 amperes

disjuntores: Nema e DIM

Descrição das características e usos dos modelos de disjuntores: Nema e DIM.

Lampada Dicróica

Demonstração da instalação de uma Lâmpada Dicróica.